Blog

Aprender fazendo é a proposta da Educação Maker

Cada vez mais escolas estão fazendo uso de aplicativos como estratégia para melhorar o ensino e atrair novos estudantes. Isso se deve, fundamentalmente, a forte atração do mundo virtual, das novas tecnologias e das inovações trazidas pelas novas formas de comunicação, sobre pessoas de todas as idades e, especialmente, sobre crianças e adolescentes. E de fato é uma estratégia interessante e instigante do ponto de vista do envolvimento do público. Mas e se ao invés de apenas manusear aplicativos o seu filho pudesse desenvolvê-los também?

Mesmo não sendo, inicialmente, algo tão elaborado como os aplicativos das redes sociais Facebook, WhatsApp, Instagram, e tantos outros, por exemplo, não deixa de ser uma iniciação. E, também representa uma grande oportunidade de aprendizagem na fase inicial da vida, o que detonará grandes vantagens no futuro, pois, muitas das profissões que irão acessar no mundo adulto, ainda nem foram pensadas, concebidas, criadas.

A Educação Maker que em síntese é aprender fazendo, aliando a criatividade, o design e o empreendedorismo a esse fazer, proporciona essa iniciação e torna essa aprendizagem possível desde muito cedo. Essa nova forma de ensinar está em sintonia com o pensamento de muitos autores consagrados: Ter o mínimo de conhecimento em computação nos dias de hoje é essencial para qualquer área, seja na vida profissional ou na vida pessoal. Estamos cada vez mais rodeados ou dependentes das tecnologias, e ela se torna cada vez mais invisível na medida em que é incorporada em nosso cotidiano (cf. FARDO, 2013). E não é diferente para as crianças, segundo Zilli (2004), as tecnologias fazem parte inerente do seu mundo. A autora demonstra que, aliada aos ideais construtivistas, a tecnologia é uma poderosa ferramenta de ensino.

Rosamar Silva

Rosamar Silva

Jornalista 7159

Graduada em Comunicação Social -Habilitação Jornalismo- Universidade Católica de Pelotas (UCPel), com experiência multidisciplinar adquirida em empresas de serviços nas áreas de comunicação, saúde, energia e órgãos públicos, nos quais atuou como redatora, chefe de redação, editora, administradora e assessora de imprensa, incluindo cobertura fotográfica de eventos e elaboração de cerimoniais de acordo com as normas protocolares, elaboração de conteúdo para páginas na Internet e mídias sociais.