Blog

O que é e para que serve a robótica educacional ou pedagógica?

 Com os avanços tecnológicos, passou-se a ouvir falar bastante sobre robótica e todos os benefícios trazidos por ela na atualidade. Está presente na indústria e nos serviços, principalmente, permeando as mais diferentes áreas e com grandes diferenciais, sobretudo, na medicina. Robôs cirurgiões, por exemplo, já foram usados em hospitais de todo o mundo. Orientados por controle remoto ou por comandos de voz, substituem as mãos dos médicos em cirurgias complexas (coração, artérias, estômago, bexiga, rins e até mesmo no cérebro). Da mesma forma acontece com a Robótica Educacional, também, conhecida como Robótica Pedagógica, cujos benefícios são inestimáveis para o setor. É exatamente sobre ela, do ponto de vista da sua importância, que tratará esta abordagem.

Como deve ser do seu conhecimento, a educação da atualidade se vale e muito das inovações tecnológicas. E a Robótica Pedagógica se encaixa perfeitamente bem entre essas inovações. Na educação ela é empregada tanto para a aprendizagem de alunos do ensino Fundamental como do Médio. Sua prática está alinhada ao desenvolvimento de habilidades muito solicitadas aos profissionais do futuro. Não se pode deixar de lembrar que esses alunos estão sendo preparados para esse mercado e precisam chegar qualificados e aptos a competirem pelas oportunidades oferecidas. E, para que isso ocorra os estudantes precisam ser capacitados desde a educação básica.

Além disso, estudos já comprovaram: atividades de Robótica Pedagógica agregam uma gama de benefícios que vão muito além do conhecimento teórico-prático. Entre os conceitos trabalhados durante as aulas estão a cooperação, planejamento, disciplina, aceitação de outros pontos de vistas, já que trabalham em equipe, o desenvolvimento da criatividade, paciência, perseverança, entre outros. Os estudantes podem ver na prática aquilo que estudaram em sala de aula. Para alguns pedagogos, contudo, o grande diferencial mesmo está no fato de uma aprendizagem genuína, ou seja, deixa para trás a “decoreba”. O estudante torna-se o protagonista do processo ensino-aprendizagem.

Assim, muito além dos conceitos de física e matemática, o estudante tem a oportunidade de desenvolver suas habilidades mentais, o raciocínio lógico, aprimorar a coordenação motora, estimular sua curiosidade e superar seus próprios limites. Mas para alcançar eficiência é importante, de acordo com a professora do Departamento de Filosofia da Universidade Católica de Pelotas, Adriane Möbbs, que também é CEO da BeMaker Indústria Criativa, Escola de Cursos On-line e Presenciais,   para alcançar a eficiência nesse aprendizado, que gestores das escolas entendam a Robótica Pedagógica na sua totalidade e não apenas com a mera inserção de tecnologias na sala de aula. “E, nesse sentido, não pode haver descuido, inclusive, da formação continuada do professor. Esta é uma área muito dinâmica e, portanto, em constante desenvolvimento agregando sempre mais inovações. Esse cuidado não se restringe somente à robótica em sim, mas também, no que diz respeito à didática e tudo que pode contribuir para o enriquecimento da experiência oferecida pelas atividades em sala de aula”, pontua.

Saiba mais sobre alguns dos Kits de Robótica Pedagógica mais utilizados:

O Kit Robótica Educacional é um dos recursos utilizados pelos professores. São recursos que possibilitam a montagem dos robôs e a programação para que eles executem ações. De acordo com a professora Adriane, normalmente o kit é composto por, software, hardware e a documentação.  O software agrega duas linguagens de programação, a textual e a gráfica. Esses recursos permitem que os programas sejam construídos pelos alunos por meio da interação destes com elementos visuais, quase sempre através de ações com o mouse.

Já o hardware é composto por três estruturas básicas, sendo seus componentes divididos em:  eletrônicos, estruturais e unidades programáveis.

Por fim, a documentação é composta, além dos documentos técnicos em si, pelo manual do usuário e pelo material de apoio pedagógico. Entre os kits de Robótica Educacional que se destacam estão o Arduino,Modelix Robotics e os da Lego.

Incentivo ao desenvolvimento da Robótica nas Escolas:

Embora tenha sido uma prática iniciada no Brasil em 1978, só em 2002, com apoio do governo federal, as olimpíadas científicas conquistaram espaço no planejamento anual das escolas em todo o país. A competição tem como um de seus objetivos o desenvolvimento da robótica, influindo melhorias para os ensinos fundamental e médio, bem como oportunizando a identificação de jovens talentosos que possam ser estimulados para carreiras técnico-científicas. A Olimpíada de Robótica é realizada desde 2007, a cada dois anos, com a etapa nacional realizada em estado diferente.

Na sua primeira edição foram registrados aproximadamente 6.500 inscritos. Dez anos depois, em 2017, já eram mais de 142 mil inscritos, tanto para a modalidade prática, realizada em equipes, quanto para a modalidade teórica, com provas individuais.

 

Rosamar Silva

Rosamar Silva

Jornalista 7159

Graduada em Comunicação Social -Habilitação Jornalismo- Universidade Católica de Pelotas (UCPel), com experiência multidisciplinar adquirida em empresas de serviços nas áreas de comunicação, saúde, energia e órgãos públicos, nos quais atuou como redatora, chefe de redação, editora, administradora e assessora de imprensa, incluindo cobertura fotográfica de eventos e elaboração de cerimoniais de acordo com as normas protocolares, elaboração de conteúdo para páginas na Internet e mídias sociais.