15 habilidades esperadas pelas empresas na hora de contratar um profissional

6 minutos para ler

15 habilidades procuradas pelas empresas na hora de contratar

Está certo, não existe receita pronta. Mas há com certeza alguns ingredientes – habilidades – necessários para alcançar um bom desempenho profissional e o reconhecimento e valorização advindos dele. Amplo conhecimento técnico, nem se fala, é uma das principais aptidões exigidas para o desempenho de quaisquer atividades, ou seja, o profissional precisa conhecer a fundo seu papel. Isso lhe garante uma boa condição de competitividade num mercado cada vez mais competitivo. Mas lembre-se: só habilidades técnicas não bastam. Você precisa entregar mais!

Por isso, alcançar o cargo que você tanto almeja e/ou chegar ao topo da carreira, é uma trajetória composta por diferentes fases. Mas todas elas com certeza têm um preço a cobrar. Junto com suas competências técnicas, você precisa reunir outras aptidões mais complexas e estas vão geralmente abarcam a esfera comportamental, indo desde a Inteligência emocional, ou seja, a capacidade para lidar com as emoções em diálogos, situações de conflitos e desafios empresariais.

Mas se você, por ventura, não tem alguma das habilidades exigidas, não há motivo para desespero. É só uma questão de preparação! Exatamente, habilidades e/ou competências profissionais podem ser adquiridas. Por isso, lá no comecinho desse post, falávamos em receita e ingredientes. Cada profissional, a partir do seu interesse, disciplina e esforço, pode construir uma carreira de sucesso. Isso porque habilidades e competências podem ser desenvolvidas e até mesmo adquiridas. Isso mesmo, da mesma forma como você desenvolve suas aptidões técnicas com estudo formal, você também pode fazer de modo construir uma conduta pessoal para o mercado de trabalho.

Ao fazer uma pesquisa rápida pela internet você irá encontrar artigos diversos, assinados por renomados CEO de empresas de recrutamento e desenvolvimento de Recursos Humanos, muito bem posicionadas no mercado. Esses artigos dão dicas valiosas. Algumas das quais elencamos aqui. Confira:

  1. Integridade

Essa é aliás, uma condição esperada não só pelo mercado de trabalho. A integridade deve estar presente nas relações diárias do indivíduo nos diferentes grupos nos quais ele esteja inserido.  Assim, por mais óbvia que pareça, nem todos os profissionais conseguem ter uma compreensão abrangente  – “lato sensu” – dessa habilidade. E, talvez por isso mesmo ela apareça no topo da lista! Um profissional íntegro tem compromisso com prazos, retorna a seus clientes e não foge dos desafios.

  1. Autoconhecimento

Conhecer a si mesmo é outra habilidade importante. Isso pode oferecer ao profissional ampla vantagem no mercado de trabalho, pois, essa competência lhe permitirá, por exemplo, desenvolver seus pontos fortes, assim como a lidar com pontos fracos. Para melhorar isso: faça um autoexame e busque ajuda profissional para se melhorar de acordo com as percepções obtidas em relação a você mesmo. Esse aprimoramento pessoal é importante!

  1. Autoconfiança

A autoconfiança é essencial para assumir riscos com segurança. Na verdade, essa habilidade está intimamente ligada a anterior. Quando você se conhece bem, geralmente, tem a confiança necessária para agir, tomar decisões, improvisar e lidar com conflitos.

  1. Equilíbrio emocional

Nem sempre é fácil manter o controle sobre as nossas emoções no ambiente de trabalho. O autocontrole nos permite lidar da melhor forma com nossos sentimentos e emoções, o que permite inclusive discernimento sobre o momento propício de externá-los.

  1. Flexibilidade

Essa é outra habilidade bastante valorizada pelo mercado de trabalho, no qual as mudanças são constantes. É importante observar aqui a relação existente entre flexibilidade,  criatividade e capacidade de inovação ou reinvenção.

  1. Iniciativa

Por que as empresas valorizam tanto essa habilidade? Porque ela é criadora, ou seja, o profissional com iniciativa, geralmente, é aquele que transforma ideias em ação. Também tem muito a ver com a capacidade de correr riscos calculados e com um protagonismo para atuar em situações de crise.

  1. Análise Crítica

Um profissional com senso crítico também é muito desejado. Lógico, aqui não se está falando do “reclamão”, ou seja, aquele que só vê defeito em tudo e não contribui com ideias e/ou sugestões para melhorar os processos. As empresas buscam que analise, vê o que precisa ser aperfeiçoado e apresenta soluções.

  1. Prestatividade

Equivale à disponibilidade, cooperação. Ser prestativo é se dispor a ajudar nas tarefas, mesmo àquelas que não constam na definição do cargo. É noção de time!

  1. Polivalência

É importante ter um perfil interdisciplinar, transitar por diferentes temas, não se restringir apenas à sua área de atuação. Isso ou ajudará no desenvolvimento de outras habilidades e/ou competência. Para ajudar nessa competência, é importante ler, investir em cursos e aperfeiçoar-se naquilo que você desconhece.

  1. Competitividade

Ter um perfil competitivo não é algo negativo. Entre as competências profissionais significa alguém que propõe metas, deseja ir além do objetivo comum ou do que está posto.  A competitividade sadia é um dos passos para o sucesso, porque o profissional, geralmente, busca a inovação para ser melhor.

  1. Empatia

Colocar-se no lugar do outro, ser compreensivo, evitar julgamentos e, principalmente, os pré-julgamentos. A compreensão e a empatia são habilidades muito valorizadas nos dias de hoje. As empresas querem profissionais mais humanos, que escutam o colega, o cliente. A percepção do lugar do outro, contribui para que se entregue mais do que o que está sendo esperado.

  1. Liderança

Nesta competência estão abarcadas muitas outras habilidades importantes:  inteligência emocional, resiliência, capacidade para delegar e motivar. E, nem de perto é correta a premissa de serem estas aptidões inerentes apenas aos gestores. Não mesmo. Você pode ser um líder no seu setor, alguém motivador, propositivo, que busca soluções e contribui para elas, motivando os colegas a fazerem o mesmo. Essa competência também pode ser adquirida em cursos específicos ou na prática do dia a dia.

  1. Persuasão

Um profissional persuasivo não é um ser autoritário. Fundamenta seus argumentos, com perspectivas tangíveis, convence a todos de que sua ideia é a melhor alternativa para o momento ou determinada situação. Portanto, ser persuasivo está bastante longe de ser impositivo.

  1. Trabalhar em equipe

Alguns profissionais não demonstram essa habilidade. Isso porque são falhos ao delegar tarefas, não escutam o outro e, quando se comunicam, tentam impor em vez de propor. Trabalhar em equipe é formar um time, onde o resultado é de todos e o esforço, empenho e dedicação também. É alguém que ajuda sem egoísmo.

  1. Capacidade de comunicação

Esta é uma das habilidades mais importantes. Pela comunicação interagimos com os demais integrantes do time. Quem sabe se comunicar consegue conquistar as pessoas no ambiente trabalho. Mas a comunicação interna vai muito além do  marketing pessoal, ajuda a evitar equívocos decorrentes de ruídos no processo de diálogo no dia a dia de uma corporação.

Você também pode gostar