Cursos on-line transformam-se em fonte de renda durante o isolamento social

4 minutos para ler

Cursos on-line transformam-se em fonte de renda durante o isolamento social

O que antes pareceria uma possibilidade um tanto remota, hoje surge como uma perspectiva bastante concreta, com vistas à geração de renda para muitos brasileiros e, especialmente, professores. A oferta de cursos on-line vem crescendo muito. Isso porque plataformas especializadas abrem-se e passam a oferecer oportunidade para profissionais em geral montarem seus cursos, disponibilizando-os na Internet.

O real significado disso pode ser traduzido em números brevemente. Vejam só: em 2018, um Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA, divulgado no início de junho, revelava que dos 63 milhões de brasileiros usuários de internet, 11% já haviam feito aulas on-line. Isso significa algo em torno 6,9 milhões.

De lá para cá, esse mercado vem crescendo cada vez mais e, como a chegada da pandemia do novo Coronavírus fez com que, praticamente, toda a população voltasse seus olhos para o mundo digital. Isso por conta do isolamento social e, também, da crise financeira com o aumento do desemprego. Com essa conjuntura, esse crescimento, deixa de ser uma possibilidade, para ganhar ares de projeto e fonte alternativa concreta de renda. 

Se essa perspectiva não for suficiente para atraí-lo para esse mercado, amplie um pouco mais sua percepção. Tome-se como exemplo, analise os seus próprios hábitos. Quanto tempo você dedica à navegação na Internet todos os dias? Quando você tem uma dúvida, onde você busca informações e/ou conteúdos para saná-la? Não por acaso, o Google é hoje um dos principais, senão o principal – aliados de quem busca por informações sobre todo o tipo de assunto, tema, problema, enfim, tem uma rica e variada gama de todos os tipos de conteúdo. O Youtube já figura, também, como um dos principais sites de busca.

Isso reforça a perspectiva de sucesso de cursos – de todos os tipos – na Internet. Se você é bom no que faz, pense e monte um curso e passe a oferecê-lo na Internet. As chances de sucesso são grandes porque, se há dúvida, precisa ter, também, quem as solucione. Em sendo assim, quem sabe, esse alguém não poderá ser você?

E, por falar em grandes possibilidades, se você é professor, tem a faca e o queijo na mão porque você tem conteúdo e, certamente, tem didática também. Aliás, a didática, pode ser um entrave para quem tem conhecimento, mas não sabe como organizá-lo para transmitir.  Assim, com o objetivo de auxiliá-lo, reunimos um material que poderá estimular a sua inserção nessa interessante fatia do mercado de trabalho.

Confira o passo a passo e monte seu primeiro curso:

  1. Defina o conteúdo que será ensinado.
  2. Identifique o perfil dos alunos.
  3. Estruture suas aulas.
  4. Escolha o formato da aula.
  5. Seja o professor que todo aluno admira.
  6. Grave suas aulas.
  7. Coloque suas aulas na internet.

Embora o formato de vídeo seja o mais recomendado, caso você não manuseie bem com essa ferramenta, não se dê por vencido. Há outras possibilidades que também funcionam. Veja:

  1. Videoaulas – a principal vantagem é que este formato favorece a um maior engajamento com os alunos. Esse formato é considerado bastante didático e de conteúdo facilmente consumido e aulas bastante dinâmica.
  1. E-books – esse formato também está em alta na Internet. São livros digitais que podem ser lidos no computador, tablet e celulares. Isso facilita bastante o acesso ao material.
  1. Guias especializados e educacionais – são orientações que você disponibiliza para usuários. Para especialistas, esse formato lhe oportuniza mostra seu material com clareza, o que ajuda a consolidar sua autoridade no assunto.
  1. Os webcasts – embora semelhantes às videoaulas, esse formato é ao vivo. Com isso, oferece um diferencial importante: a possibilidade de interatividade instantânea com os alunos. Eventuais dúvidas sobre o conteúdo podem ser sanadas na hora.
  2. Whitepapers – esses são conteúdos mais enxutos. Permitem que você aborde um único assunto e se aplicam especialmente bem ao trato com informações quantificáveis.
Você também pode gostar